Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr Spotify
28/11/2018

ES: Projeto “Virando a Página” da Defensoria Pública é vencedor do Sinepe

Fonte: ASCOM/DPE-ES
Estado: ES
O projeto “Virando a Página”, idealizado pela coordenadora do Núcleo de Execução Penal Roberta Ferraz foi o vencedor da 12ª edição do Programa Sinepe/ES em Ação, promovido pelo Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo. A iniciativa, que acontece em parceria com a Faesa, concorreu com outros 58 projetos que tem como objetivo principal a promoção da cidadania. A cerimônia aconteceu na última sexta-feira, em Vitória.
 
Para a Defensora Pública Roberta Ferraz o primeiro lugar na premiação é muito importante, visto que a iniciativa concorria com outros diversos projetos relevantes. “A premiação é de extrema importância, principalmente porque estávamos concorrendo com iniciativas que envolvem um número enorme de escolas particulares, faculdades, além de projetos na área sócio ambiental e na área da educação, projetos de muita responsabilidade social”, relata Roberta Ferraz.
 
Ela ainda ressalta que a proposta do “Virando a Página” ajuda a quebrar o modo como a sociedade olha os apenados. “No contexto que a nos encontramos hoje, ver um projeto voltado para pessoas encarceradas ganhar o primeiro lugar é de extrema importância, não só para a Defensoria Pública e também para Faesa, como para a sociedade, justamente porque ajuda a quebrar o estigma da pessoa que está encarcerada e começa a se pensar de fato naquelas pessoas que estão ali cumprindo a pena delas, pois um dia elas retornarão para a sociedade”.
 
O projeto virando a página trabalha mudando a visão não apenas dos internos, mas também dos alunos que participam da iniciativa têm a possibilidade de entrar nos presídios para conversar sobre leitura, trabalhar com a interpretação e questões textuais da língua portuguesa. Para Roberta Ferraz essas atitudes mudam o contato, o olhar e possibilitam ao aluno ter uma relação com o mundo acadêmico que ajude também a quebrar o estigma em relação aos presos. “É um projeto muito especial, por isso, muda-se muito a realidade, o dia-a-dia da pessoa, porque quem está preso vive o encarceramento de diversas formas e o livro liberta”, esclarece a Defensora
 
 Sobre o Projeto
 
O projeto visa a remição de pena por meio da implantação e do estímulo da leitura e é uma realização do Núcleo de Execuções Penais (NEPE) da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo (DPES), em parceria com a Faesa Centro Universitário.
 
Na prática, os encarcerados que têm interesse em participar do projeto e possuem o Ensino Fundamental, devem elaborar um resumo do livro escolhido, enquanto aqueles que houverem cursado o Ensino Médio ou Superior elaboram uma resenha.
 
O material confeccionado é avaliado por uma equipe voluntária com conhecimentos técnicos na área de educação – professores e alunos do curso de Pedagogia da referida instituição de ensino – sendo necessário que o preso obtenha o mínimo de 60% na avaliação profissional. A fim de subsidiar essa avaliação, são considerados o grau de instrução e as possibilidades de cada indivíduo, de acordo com o projeto.
 
Para cada relatório ou resenha, com grau de aproveitamento suficiente, o preso recebe quatro dias de remição. São até 12 obras por ano, o que pode ensejar 48 dias de remição.  A primeira turma já contemplou 16 apenados no projeto piloto.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
06 de julho
AGE
03 de agosto
AGE
31 de agosto
Reunião de Diretoria
01 de setembro
AGE
05 de outubro
AGE
08 de novembro, Goiás (CONADEP)
AGE
08 A 11 de novembro, em Goiânia (GO)
XV Congresso Nacional das Defensoras e Defensores Públicos
14 de dezembro
AGO de eleição
13 de dezembro
Reunião de Diretoria
 
 
 
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)