Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr Spotify
22/06/2022

PR: DPE garante prisão domiciliar para mãe de quatro crianças. Equipe foi até a casa da família para realizar o atendimento

Fonte: ASCOM/DPEPR
Estado: PR
A Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) em Umuarama conquistou na Justiça o direito à prisão domiciliar para uma mulher mãe de quatro filhos menores de 12 anos que estava presa na cadeia da cidade. O atendimento foi realizado dentro das atividades do projeto "Sexta-feira na Cadeia".
 
As quatro crianças estavam sob os cuidados da avó materna, mas ela havia sofrido um acidente de moto, que vitimou seu marido e a deixou com problemas no tornozelo, o que, somado a outros problemas na coluna, dificultava a sua locomoção. A mãe das crianças estava presa sem ter notícias da família.  
 
“Como ela não sabia o celular da mãe, que ficou responsável pelos filhos, fomos até a casa dela e nos deparamos com uma situação inacreditável: quatro crianças, com dez, nove, sete e dois anos de idade, e uma senhora que mal conseguia andar, com quase nada e precisando de quase tudo”, conta o defensor público e coordenador do projeto, Cauê Bouzon Machado Freire Ribeiro, que visitou a residência junto com a estagiária de pós-graduação em Direito Mariana Fakhouri.
 
Em defesa da mãe das crianças, a Defensoria Pública alegou que o artigo 318 do Código de Processo Penal dispõe que a prisão preventiva pode ser substituída pela prisão domiciliar para mães de filhos(as) de até 12 anos de idade incompletos. Também destacou que o Supremo Tribunal Federal (STF) já consolidou entendimento de que “cuidados com a mulher presa [...] se direcionam não só a ela, mas igualmente aos seus filhos, os quais sofrem injustamente as consequências da prisão, em flagrante contrariedade ao artigo 227 da Constituição, cujo teor determina que se dê prioridade absoluta à concretização dos direitos destes”.
 
O defensor público destaca a importância da atuação ativa da Defensoria Pública para o sucesso do caso, desde o atendimento dentro da cadeia até a visita à casa da família. 
 
“Outro fator que faz dessa atuação um caso de destaque é o resguardo não só dos direitos da pessoa privada de liberdade, mas, sobretudo, das quatro crianças, que tiveram garantido pela Defensoria Pública seu direito à convivência materna. Em suma, em razão de uma participação ativa da DPE-PR, cinco seres humanos tiveram seus direitos resguardados. Esse é nosso papel!”, avalia Cauê Ribeiro. 
 
“Sexta-feira na Cadeia” – O projeto, que realiza atendimentos semanais na Cadeia de Umuarama, teve início no final do ano de 2019. Atualmente, são atendidas quatro pessoas a cada sexta-feira, que recebem informações sobre o andamento de seus processos, eventuais benefícios alcançados e datas de audiências. Até o momento, já foram atendidas 157 pessoas privadas de liberdade. 
 
O projeto conta com a colaboração do psicólogo Clodoaldo Porto Filho, que realiza atendimento psicológico através do Projeto “Psicologia Para além dos Muros”, e da assistente social Débora Cristina Carvalho de Souza, que também atende os presos e realiza o contato com as famílias para solicitar documentos e informações complementares. Atualmente, a Cadeia Pública de Umuarama, que tem capacidade para 57 pessoas, conta com 262 pessoas em privação de liberdade.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
06 de julho
AGE
03 de agosto
AGE
31 de agosto
Reunião de Diretoria
01 de setembro
AGE
05 de outubro
AGE
08 de novembro, Goiás (CONADEP)
AGE
08 A 11 de novembro, em Goiânia (GO)
XV Congresso Nacional das Defensoras e Defensores Públicos
14 de dezembro
AGO de eleição
13 de dezembro
Reunião de Diretoria
 
 
 
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)