Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr Spotify
12/05/2022

PR: Defensoria garante acesso a dispositivo de R$ 122 mil para adolescente com epilepsia rara

Fonte: ASCOM/DPEPR
Estado: PR
Em Guarapuava, a Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) conquistou judicialmente, para um adolescente de 13 anos, o acesso à bateria de um equipamento que custa aproximadamente R$ 122 mil, e cujo uso é essencial para evitar que o usuário da DPE-PR controle crises graves de uma epilepsia refratária. O dispositivo ainda não é fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e ajuda a evitar ou minimizar convulsões e hospitalizações.
 
Desde 2017, o adolescente utiliza um equipamento chamado Estimulador do Nervo Vago (VNS), que ajuda a controlar a doença. A bateria do VNS já estava em 10% quando a mãe do jovem, que tem mais dois filhos e é mãe solo, buscou a Defensoria, em março deste ano.
 
Em razão da pandemia, as consultas para a manutenção do equipamento atrasaram e a situação chegou ao ponto em que a bateria poderia acabar a qualquer momento – e uma possível falha do equipamento poderia levá-lo a óbito. Só existe uma empresa no Brasil que produz essa bateria, e a cirurgia para a troca do dispositivo deveria ser realizada no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, unidade especializada em doenças raras.
 
“A equipe de Guarapuava correu contra o tempo para que a bateria fosse fornecida e a cirurgia de troca fosse realizada”, explica a assistente social Adriele Inácio, que atua na Defensoria de Guarapuava. “Contatos extrajudiciais com as equipes da Secretaria Municipal de Saúde, do Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e com o Hospital Pequeno Príncipe foram realizadas com o intuito de agilizar o procedimento do adolescente, pois o equipamento precisava ser entregue no Hospital com 24 horas de antecedência da cirurgia, então tudo deveria ser sincronizado. A ação da Defensoria Pública, até mesmo nos plantões judiciários, foi fundamental para que tudo isso acontecesse”.
 
A ação da Defensoria Pública pedia na Justiça que a bateria fosse custeada pelo Estado e que fosse providenciado o prévio agendamento com o Hospital Pequeno Príncipe para garantir a vaga para a realização da cirurgia. A Justiça acatou o pedido da Defensoria e bloqueou o valor necessário nas contas do Estado. Com isso, a família pôde custear o equipamento e a cirurgia foi realizada pelo SUS no início de maio. O adolescente já recebeu alta e passa bem.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
07 de junho
Reunião de Diretoria
08 de junho
AGE
06 de julho
AGE
03 de agosto
AGE
31 de agosto
Reunião de Diretoria
01 de setembro
AGE
05 de outubro
AGE
08 de novembro, Goiás (CONADEP)
AGE
08 A 11 de novembro, em Goiânia (GO)
XV Congresso Nacional das Defensoras e Defensores Públicos
14 de dezembro
AGO de eleição
13 de dezembro
Reunião de Diretoria
 
 
 
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)