Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr
A ANADEP também está na Campanha Outubro Rosa pelo combate ao câncer de mama
17/05/2019

RJ: DPE vai à Justiça para garantir atendimento à saúde em São Gonçalo

Fonte: ASCOM/DPE-RJ
Estado: RJ
A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) ingressou com um pedido de liminar para obrigar a prefeitura de São Gonçalo a solucionar uma série de irregularidades identificadas na Unidade Básica de Saúde (UBS) Santa Luzia. O pedido à Justiça foi protocolado nesta quarta-feira (15) – um dia após o Conselho Regional de Medicina (CREMERJ) decretar uma interdição ética no estabelecimento de saúde em razão da falta de condições mínimas para garantir um atendimento seguro à população. Com essa medida, as atividades médicas no local estão suspensas. 
 
Realizado pela Coordenação de Saúde e Tutela Coletiva da DPRJ, o pedido de concessão de tutela de urgência pede à Justiça a concessão de liminar para que a Prefeitura de São Gonçalo resolva os problemas da UBS Santa Luzia em um prazo de até 72 horas. No início de janeiro, o CREMERJ realizou uma vistoria na unidade e constatou irregularidades que vão da falta de estrutura à ausência de insumos básicos para a prestação dos serviços de saúde. 
 
Apesar da notificação à Prefeitura de São Gonçalo, as irregularidades não foram resolvidas. Vistorias realizadas posteriormente verificaram a continuidade de problemas como iluminação insuficiente, presença de moscas e ausência de materiais básicos como luvas, gazes e sabonete líquido. Diante deste quadro, o CREMERJ decretou, na última terça (14), uma interdição ética na unidade de saúde pelo prazo de 15 dias, prorrogáveis por mais 30. Com isso, atendimento médico foi suspenso. 
 
A defensora pública Thaísa Guerreiro, coordenadora de Saúde e Tutela Coletiva da DPRJ destacou a importância da concessão da liminar para compelir a Prefeitura de São Gonçalo a cumprir as exigências do CREMERJ e restabelecer o atendimento na unidade de saúde. Além do pedido de tutela cautelar, a DPRJ recomendou que a população atendida na UBS Santa Luzia fosse redirecionada para outras unidades básicas de saúde a fim de garantir a continuidade do atendimento à população, já que se trata de serviços de saúde essenciais.   
 
"As unidades básicas de saúde são a porta de entrada da população não só para atendimentos básicos de saúde, mas também para consultas e exames de média e alta complexidade. É a atenção básica que vai garantir o acesso da população a todos os serviços de saúde", explicou a defensora.
 
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
XIV CONADEP
ANADEP INOVA
Escola Nacional das Defensoras e Defensores Públicos do Brasil
Novas 100 regras de Brasília
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)