Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr
07/02/2019

AL: Ação da Defensoria Pública garante gratuidade em transporte público para pessoas com deficiência

Fonte: ASCOM/DPE-AL
Estado: AL
Os defensores públicos do Núcleo de Direitos Coletivos e Humanos, Karina Basto e Daniel Alcoforado, ingressaram, nesta quinta-feira, 07, com uma ação civil pública contra o Estado de Alagoas, a fim de garantir a regularização da distribuição de medicamentos destinados à prevenção e tratamento das infecções oportunistas que acometem pessoas diagnosticadas com HIV/Aids. Segundo os defensores, o desabastecimento prejudica o tratamento de mais 7.580 pacientes.
 
De acordo com informações apuradas pelos defensores públicos, a insuficiência de medicamentos é gerada por um descompasso entre o aumento no número de pacientes, ocorrido nos últimos anos, e a velocidade na atualização estrutural e na oferta de medicamentos fornecidos pelo Estado.  A situação foi posta em discussão em outubro do ano passado, quando a Defensoria Pública realizou reunião com representantes da saúde estadual, solicitando providências, no entanto, transcorridos mais de dois meses, nenhuma ação foi efetivada pelo Estado com a finalidade de solucionar o problema.
 
De acordo com a Resolução Estadual nº 32, de 16 de abril de 2018, da Comissão Intergestores Bipartite, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) é responsável por adquirir os medicamentos necessários para o tratamento ambulatorial e profilaxia de infecções oportunistas relacionadas ao HIV/Aids, devendo sua distribuição ser feita pelas unidades dispensadoras. Em Maceió, a assistência ao pacientes é realizada pelos Serviços de Assistência Especializada – SAEs, instalados no Hospital Helvio Auto, Hospital Universitário e PAM Salgadinho.
 
Na ação, os defensores relembram que a saúde é um direito fundamental garantido pela Constituição, além disso, apontam para o fato do Estado receber da  União valores anuais na ordem de  mais de R$ 2 milhões destinados às ações de vigilância, prevenção e controle das DST/AIDS, incluindo a aquisição de medicamentos, o que demonstra cobertura financeira para a execução adequada da política pública cobrada através da ação coletiva. 
 
“A situação dos cidadãos é de grave risco à saúde, em face da necessidade de prevenção e controle dos nefastos efeitos das infecções oportunistas que podem inclusive comprometer suas vidas”, explicam.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
27, 28 e 29 de agosto
Atividades legislativas
28 de agosto às 11 horas
Câmara dos Deputados homenageará Defensoria Pública
28 e 29 de agosto
CONIP 2019
4 de setembro de 2019
Assembleia Geral Extraordinária (AGE)
2 de outubro de 2019
Assembleia Geral Extraordinária (AGE)
12 de novembro de 2019
Assembleia Geral Extraordinária (AGE)
11 de dezembro de 2019
Assembleia Geral Extraordinária (AGE)
1º de outubro de 2019
Reunião de Diretoria da ANADEP
10 de dezembro de 2019
Reunião de Diretoria da ANADEP
12 a 15 de novembro - Rio de Janeiro
XIV Congresso Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (CONADEP)
XIV CONADEP
ANADEP INOVA
Escola Nacional das Defensoras e Defensores Públicos do Brasil
Novas 100 regras de Brasília
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)